Biocombustíveis…

DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS AOS RENOVÁVEIS

RUBINEIA ENTRA NA FASE DE TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

O aquecimento global, provocado pelo efeito estufa, vem causando graves alterações em nosso ecossistema. O dióxido de carbono, principal causador, é liberado na atmosfera com a combustão dos combustíveis fósseis derivados do petróleo, como o óleo diesel, a gasolina e o gás natural. Os combustíveis fósseis são recursos naturais não renováveis. Formados pela decomposição de matéria orgânica, através de um processo que leva milhares de anos. Por esse motivo, os combustíveis fósseis não são renováveis ao longo da escala de tempo humana, ainda que ao longo de uma escala de tempo geológica esses combustíveis continuem a ser formados pela natureza.

BIOCOMBUSTÍVEIS

O biodiesel e o etanol são combustíveis renováveis, e apresentam-se como uma possível solução para os atuais malefícios provocados pelo petróleo e seus derivados, reduzindo significativamente a emissão dos gases causadores do aquecimento global. Resultante de um processo químico, onde o principal elemento é a biomassa, o biocombustível caracteriza-se como um produto agrícola, biodegradável e não tóxico. Partindo desse princípio, a Prefeitura de Rubineia, através do Departamento de Meio Ambiente, está incentivando a utilização de combustíveis renováveis e de menor impacto ambiental nos veículos automotores da frota pública municipal. O prefeito Aparecido Goulart determinou o uso de combustíveis não fósseis (etanol e biodiesel) nos veículos oficiais, a partir deste ano de 2017 e, em regime progressivo anual de 5%, até regular todos. A medida compreende todos os veículos automotores a serviço da Administração Pública Municipal Direta. A diretora de Meio Ambiente, Luciana Ignotti, explicou que a determinação é gradual e tem objetivos sustentáveis. “A determinação do prefeito Cidão é uma maneira de incentivar os veículos ‘flex’ da frota a usarem como prioridade o etanol. Além disso, os veículos movidos a diesel devem alterar para biodiesel gradativamente. Claro, que para ser cumprida essa determinação, dependemos da questão financeira e da disponibilidade do combustível no mercado”, informou.

SHARE